quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

"Lumber e Campo Militar"



"L EMBRANÇAS DA L U M B E R"

O documentário por ter maior duração, não abre nesta página, mas você pode assistir no Youtube.







Assista ao documentário no Youtube - Lembranças da Lumber.





Menina passeando próximo das instalações da Lumber.





HISTÓRIA Dos Hotéis:
Três Barras durante os anos de atividades da Empresa Lumber, contou com três hotéis em funcionamento: Hotel América, Hotel Wandrastch e Hotel Mirandel.

O “Hotel Mirandel”, localizado ao lado da Loja Uba, pertencia ao francês Artur Latige Mirandel, que teria chegado em Três Barras em 1913.Segundo contam, seu Artur pertencia a uma família de nobres franceses e possuía o título de Conde.Sua esposa era de origem russa e se chamava Anastácia Ivanov.O hoteleiro faleceu em 04 de maio de 1929.Sua esposa prosseguiu até 1953, quando veio a falecer em 04 de novembro, aos 84 anos de idade.Seus filhos eram: Miguel, Raul e Maria.Há uma lenda de que na casa dos mesmos existia um violino Stradivárius e que após o falecimento de Miguel (nos anos 80), a casa ficou abandonada e a Prefeitura teria encontrado esse violino, que misteriosamente desapareceu.Pessoas mais antigas nos contam que dona Anastácia era uma grande cozinheira e que chagava até a fazer geléias de pétalas de rosa.

A respeito do “Hotel Wandrastch” que pertenceu a Fernando e Melanie, há muitas informações no livro “Casa Brasileira”.



Aqui funcionou o "Hotel Wandrastch".


O "Hotel América", nos anos 60 passou a se chamar "Hotel e Bar Tupã", mantendo uma placa com o desenho de uma cabeça de índio.Durante longos anos teve como responsáveis o casal Miguel e Rosa Chicoski.Foi passando por vários donos.No início dos anos 80, passou à família Guebert, que ali montou uma loja de materiais de construção.



Desfile de 7 de setembro (2000).



Engenho da Lumber

A Companhia Lumber foi uma grande serraria norte-americana, que fez parte da história de Três Barras - SC.Instalou-se por volta de 1910 e funcionou até fins de 1951.Um pouco dessa história está registrada no livro "Casa Brasileira", de autoria de Jorge de Souza, publicado em abril de 2007.


Trabalhadores da Lumber




Lumber


Marcenaria da Lum

Locomotiva da Lumber




Capela do IBAMA



Casa do diretor da Lumber

Desfile diante do armazém da Lumber


Acidentes de trabalho com o trem

Cinema da Lumber (1935).

Escritório da Lumber.

Barracões da Lumber.
Trem da Lumber (1926).

Soldados do CIMH: Jorge Dambroski e Eliseu Munhoz (1966).

Casal próximo ao Armazém do CIMH.


Galeria dos Coronéis do CIMH.
Rádio do Bídus. Na foto: Eliseu Munhoz, Basílio Bídus e Jorge Dambroski.

Jovens sentados próximo da Rádio do Bídus.Aos fundos vemos o Armazém.

Igreja Metodista, que passou depois à Assembléia de Deus.

Casa junto ao cinema.

No tempo das lambretas.

Soldados do CIMH

Festa próximo ao cinema do CIMH.

Times infanto-juvenis dos anos 60.

A primeira Igreja de Três Barras - Vila Argentina.



Doutor Oswaldo de Oliveira, importante médico da Lumber.


GENTE QUE POR AQUI PASSOU...

EMÍLIO TINEL e a "Banda Furiosa":

Foto: Emílio Tinel (1949).

Os tresbarrenses mais antigos ainda recordam os áureos tempos da empresa Lumber.E entre as muitas pessoas lembradas, está Emílio Tinel e sua “Banda Furiosa”.
Emílio Tinel ( na Lumber), foi o primeiro brasileiro nomeado para o cargo de encarregado dos
acidentes de trabalho, substituiu Francis. Foi contratado em 22 de Maio de 1923, aos 23
anos, para a função de esteno-datilógrafo. Recebia a diária de 6$000, era casado, residia
em Três Barras, mas havia migrado de São Paulo.
Certamente conquistou a importante função de encarregado dos acidentes de trabalho pela sua estreita amizade com o diretor gerente da companhia, Ernesto Bishopp. Eram colegas inseparáveis em caçadas, pescarias e, inclusive, em uma banda de música formada por trabalhadores da Lumber, a “Banda Furiosa”, que no ano de 1925 contava com os dois amigos entre seus componentes.
Após as diligências do delegado, o patrão, Emílio Tinel, declarou em seu depoimento que: “quando aquele operário exercia sua profissão de distribuidor de madeira preparada, aconteceu que, sentando-se na mesa em que giram as roletas condutoras de
madeiras beneficiadas, “deixou-se prender” seu paletó em um desses roletes, indo a
vítima de encontro a este, causando-lhe a fratura que apresenta”.
Todas as testemunhas do caso, sem exceção, também declaram, da mesma forma que o patrão, que o operário “deixara-se prender” nos roletes, causando o acidente e os ferimentos dele decorrentes.
Sobre o senhor Emílio Tinel, é curioso informar que há fotografia do mesmo, num quadro de formatura do Grupo Escolar “General Osório”, no ano de 1949, como homenageado de honra.Também num livro de registros de visitas às exposições do Grupo Escolar, há registros de visita da senhora Etelvina Tinel (em 1945) e de Rosíris Tinel (1951). São lembranças raras de pessoas que aqui viveram e deixaram o seu registro na história.

PESSOAS QUE ATUARAM NA LUMBER:



Otávio Tabalipa.Também foi prefeito de Canoinhas.

Carlos Schramm 

Ricardo de Oliveira, banqueiro e grande comerciante local.Mais conhecido como seu Dique.

Se você gostou deste Blog, escreva para mim.É sempre bom poder ouvir a opinião dos leitores:
(tioze.artes@bol.com.br)