segunda-feira, 2 de julho de 2012

Escola "General Osório" - Três Barras - SC





COMO SURGIU A ESCOLA “GENERAL OSÓRIO”: 




No século passado, entre os anos de 1910 a 1940, funcionou em Três Barras, a maior serraria da América do Sul: a madeireira “Lumber”.
Devido ao grande número de crianças, filhos dos funcionários da empresa, fez-se necessária a construção de uma nova escola.Antes disso, haviam algumas escolas particulares na língua polonesa e nesse mesmo local, a pequena escola isolada “João Pessoa”.
  O Grupo Escolar “General Osório” foi oficialmente inaugurado em 16 de março de 1939.Teve como seu primeiro diretor, o senhor Júlio Cantizano.Atualmente, nossa escola conta com 75 anos de atividades e está na sua 19ª direção, exercida hoje pela nossa Diretora Janaína dos Santos Bueno.Pensando na valorização da escola, como o mais antigo estabelecimento escolar do nosso município, em 2011 foi  realizado um concurso para a escolha de um logotipo da escola.
O desenho escolhido foi da aluna Joicielen Küne.


"RECORDAR É VIVER"

Fachada da Escola "General Osório" - 1939 a 1970.




1º Diretor: Júlio Cantizano




Turma de alunos de 1939.



Inauguração da Escola - março/1939.




Inauguração da Escola contou com a presença do Governador Nereu Ramos.
Jardim interno da escola - 1939.


"ANOS 40":




Diretor Júlio e um grupo de Professoras.




2º Diretor: Irineu Benedito de Macedo - 1944 a 1945.




3º Diretor: Pedro Paques - 1946 a 1947.






4ª Diretora: Kora da Silva Kunzel - 1948


Turma de alunos de 1946.




5ª Diretora: Otília Irene Friedrich - 1949 a 1957.

Foi esta diretora, a autora do Hino da Escola "General Osório".


HINO DA ESCOLA “GENERAL OSÓRIO”.

autoria de: Otília Irene Friedrich - 1949.


Nós os alunos desta amada escola,

General Osório, escola exemplar.
Que o estudo dignifica
e agrisola,
Havemos de sempre honrar.


IIº
Queremos saber,
Saber a Pátria servir.
O estudo garantido,
O mais seguro porvir.
Um brado levantemos:
Viva General Osório,
Nossa escola exemplar.


IIIº
E confiantes, almas enriquecidas
Seguir adiante
Fortes a lutar.
Preparados para enfrentar
a vida.
Com o exemplo da escola e do lar.

IVº

A escola é um bem.
Tesouro de imenso valor.
A força da instrução,
Esteio do nosso vigor.
Um brado levantemos:
Viva General Osório,
Nossa escola legal!


"ANOS 50"






Homenagem ao Dia do Professor.


Baile de Formatura - Cinema do CIMH.



6ª Diretora: Guita Federmann - 1957 a 1967.





Diretora e professoras no Jardim Interno da Escola.




Diretora Guita Federmann e aluna Dionete Dias
(dezembro-1963)

"PROFESSORAS SEMPRE LEMBRADAS"




Aurora Siqueira Ribas


Isabel Motta


Ieda Ferreira

Marta Gura Kalempa


Abigail Pacheco Bishop



Lídia Sava Suitck





Jamili Uba









Terezinha Uba


Desfile de 7 de setembro de 1960, seguindo ao Estádio do Três Barras Esporte Clube.
O pelotão das bicicletas é acompanhado das professoras Victória Ossaif e Nelide Figueiredo.


Professora Victória Ossaif.



Nesse desfile, o menino da frente é o Gebrael El-Kouba Filho.A professora é a dona Guita Federmann.

Professora Estanislava Drachinski


Dirce Braz lidera o pelotão do desfile.


Professora Aglaé Pacheco Bueno




Professora Elvira Fiolek 

Professora Isabela Sava



Fanfarra desfilando diante do Armazém.Aos fundos vemos o Alojamento dos soldados, que mais tarde deu espaço à Casa da Cultura.



Desfile de 7 de setembro, passando no centro de Três Barras. 


Vemos aqui a professora Marta Kalempa e a Diretora Guita Federmann. 


7ª Diretora: Nelide Maria de Andrade Figueiredo - 1967 a 1979.

Dona Neli, direcionou o Grupo Escolar "General Osório" no decorrer dos anos 60 e 70.Nessa época, o Grupo passou a Escola Básica "General Osório".

Foto: (Em pé) Jamili Uba, Abigail Bishop, Nelide Figueiredo, Eugênia de Souza, Maristela, Tânia Chaikoski, Isabela Sava, Francisca Drachinski. (Sentadas): Terezinha Polanski, Bira, Édina Dalmédico.



Foto: Tânia Chaikoski, Aubiramar G. de Souza, Victória Ossaif e Francisca Drachinski.




Foto: Coquetel do Dia do Professor. Victória Ossaif, Tânia Chaikoski, Francisca Drachinski, Aubiramar G. de Souza ,Terezinha Polanski e o jovem Márcio Moskwyn.



Anos 60, no Jardim da Escola: Isabela Sava, Nelide Figueiredo, Lídia Sava, Ivone Olsen, Anita Ribeiro, Eugênia de Souza, Abigail Bishop, Jamili Uba e Rosinha Bachmann.


Turma de alunos de 1965.




Turma de alunos dos anos 60.




Professora Elfrida Sfair com seus alunos:Otoniel, Jonas, Negré, Zezico, Leoni Gomes, Néli Bachmann, Marivone Olsen.

O aluno mais alto da turma é Luís Fernando Olsen. ( Turma dos anos 60).




Durante as décadas de 50 e 60, a chegada do trem às 17:00 horas nas tardes de domingo, atraía muita gente.

Formatura no Cinema (dezembro/1966) 


Aluno Edson Corrêa acompanhado da professora Abigail.



Alunos: Edson Corrêa e João de Lima.


Nivaldo Braz recebendo o diploma das mãos de seu pai Atanázio.








Gravura de um calendários dos anos 60.




Típicas estudantes dos anos 60.


Aluna vestida conforme uniforme dos anos 60.


Década de 70: Desfile de 7 de setembro.



Avenida Santa Catarina



Momentos de Leitura:
Da primeira cartilha, aos livros de leitura e literatura, a escola sempre se esmerou para que os alunos se tornassem bons leitores.As aulas de leitura aconteciam com frequência e inclusive existiam as provas de leitura. 








Formatura - dezembro/1977.



Turma de amigos inseparáveis: Luís Moraes, Dido, Eli Bedretchuk, Dirceu Boava, Zé da Glória e João Magalhães. Deixaram saudades.

8ª Diretora: Eugênia Rudey Souza - 1979 a 1988.



Professora Victória e um pelotão no desfile de 7 de setembro de 1985.


Almoço do dia do Professor - 1984 - Prefeito Merhy Seleme.


Jantar Festivo dos 50 Anos da Escola - maio/1989.



Baile dos 50 anos da Escola - Sheila, Zugue e Izarina.

9ª Diretora: Izarina Guebert - 1989 a 1991.







Atividades culturais, alusivas aos 50 Anos da Escola - 1989.


Desfile em homenagem aos 50 Anos da Escola - maio/1989.


Nossos atletas deixaram saudades. - maio/1989.



Professores no Cinquentenário da Escola. - maio/1989.




Diretora Izarina e o quadro de professores. - maio/1989.



7 de setembro de 1989.


10ª Diretora: Aparecida Barbosa. - 1992 a 1994.



Lançamento do livro infantil "A bruxinha Margarida", autoria do professor José Francisco - novembro/1993.


Fátima, José e Bern.

11º Diretor: José Roberto Pedro. - 1994 a 1995.







12ª Diretora: Denise de Souza. - 1995 a 1996.
Professoras e Diretora da EEB "General Osório".






Aposentadoria da professora Míriam Uba da Silveira.



Diretoras: Aglaé Bueno e Denise de Souza






13ª Diretora: Aglaé Bueno - 1997 a 1999.





14º Diretor: José Roberto Pedro. - 1999 a 2002.

Foto: Professores no ano de 2002.






15ª Diretora: Salete Bachmann Lisboa. - 2003 a 2010.


"REINAUGURAÇÃO DA ESCOLA"

Durante a gestão da diretora Salete,  a Escola foi agraciada  pelo Governo do Estado, com um projeto de reforma e ampliação em seu espaço físico.Durante o período de julho 2003 a setembro de 2005, a Escola passou a funcionar em outros espaços: Salão Paroquial da Igreja Matriz, Jardim de Infância "Merhy Bechara Seleme" e Casa da Cultura - CIMH, para que a reforma pudesse ser feita.

     No dia 30 de setembro de 2005, aconteceu a reinauguração da Escola, que contou com a nobre presença do excelentíssimo Governador do Estado, senhor Luiz Henrique da Silveira.





Escola reinaugurada/2005.




Governador Luís Henrique da Silveira chegando na escola.

16º Diretor: Nirã Alves de Lima (2011)








"General Osório", patrono da Escola:




      Manuel Luís Osório, ou simplesmente “General Osório”, nasceu na cidade de Conceição do Arroio, no Rio Grande do Sul, em 10 de maio de 1808.Faleceu no Rio de Janeiro em 1879.A cidade onde nasceu, hoje leva o seu nome.

     Com apenas 14 anos, ingressou no Batalhão da guerra pela independência, combatendo os portugueses que eram contra as decisões de Dom Pedro Iº.

     Saiu-se vitorioso na Batalha de Tuiuti, em 24 de maio de 1886, quando o Brasil estava em guerra com o Paraguai.

É considerado um dos heróis da Guerra do Paraguai.

Ao longo da sua carreira alcançou os títulos de Barão, Visconde, Marquês, Marechal do Exército, Ministro da Guerra e Patrono da Arma de Cavalaria do Exército Brasileiro.

     Nossa escola leva o seu nome, porque na época em que foi inaugurada, Getúlio Vargas era o Presidente do Brasil.E, uma das tradições do Governo Vargas, era homenagear os heróis da Pátria, colocando seus nomes em escolas, aeroportos, hospitais e demais instituições públicas.

Nas páginas da história brasileira, destacam-se vários heróis.Entre esses, também está General Osório.



17ª Diretora: Maria Rosélis de Souza (2012 - 2013)



Projeto Memórias - outubro de 2012.



Diretora Rosélis e turma de formandos.

Dia do Folclore - 2013 

Alunos do Ensino Médio

Alunas no desfile de 7 de setembro.

Neve - julho de 2013.




18ª Diretora: Mona Denk
2014 - 2015







Teatro: "A bruxinha Margarida" - 2014




19ª Diretora: Janaína dos Santos Bueno - 2016.









Deputado Chico da Princesa, aluno da nossa escola.


As gerações atuais quase não sabem, mas o tresbarrense Francisco Octaviano Beckert ou Chico da Princesa, quatro vezes eleito Deputado Federal, foi aluno da Escola "General Osório", tendo estudado até a 8ª série.É sem dúvida um orgulho para a escola e também para a cidade.


Foto: Chico da Princesa (Deputado Federal).



"Lembranças  do meu tempo escolar"
1967-1975



Todos aqueles que estudaram ou trabalharam na Escola “General Osório”, têm uma história para contar.A minha história com o Grupo Escolar “General Osório”, aconteceu entre os anos 60 e 70.No início de 1967, mesmo sem ter a idade certa para ingressar, meu pai tanto insistiu, que acabei sendo matriculado no 1º ano, tendo como professora, dona Terezinha Polanski.Foi naquele ano que aconteceu a mudança de direção da dona Guita Federmann para dona Nelide Figueiredo.Recordo que houve uma homenagem e nós recebemos a dona Guita na entrada da escola, cantando “Se esta rua fosse minha” e atirando pétalas de rosas.Foi um momento mágico, o primeiro encontro com os livros e com a cartilha Sodré, cujos textos ainda lembro.Nas manhãs frias de inverno, traziam baldes de brasa para a sala de aula, para que os alunos ficassem mais aquecidos.Também foi nesse ano o aniversário das gêmeas Soraia e Sumaia, comemorado na sala de aula.Trouxeram bolo e uma garrafinha de refrigerante para cada colega.Quando o inverno ia ficando mais forte, chegavam então as inesquecíveis férias de julho (um mês de férias), com a volta prevista só para o dia 1º de agosto.Porém, lá por agosto tive varicela e fiquei uns dois meses fora da escola e não consegui recuperar e alcançar o mesmo nível dos colegas.
Quem não lembra da primeira cartilha?

Em 1º de março de 1968, retornava ao 1º ano novamente, agora com a professora Édina Dalmédico.Ela era de Porto União, mas residia na casa paroquial, junto com mais uma irmã e o tio que era o Padre Léo.Com dona Édina fui aprendendo cada vez melhor e chegamos ao encerramento do ano escolar, logo nos primeiros dias de dezembro.Eram épocas em que se faziam Horas Cívicas, chamadas de festinhas.Todo sábado pela manhã acontecia a apresentação realizada por alguma sala.No sábado, o horário era assim: o primário entrava às oito e saía às dez.Após a festinha, entrava o ginásio que ficava até às doze horas.Tínhamos esse período no sábado, é verdade.Porém, havia um mês de férias em julho e quase três meses no final do ano: dezembro, janeiro e fevereiro.Só retornávamos em 1º de março.Todo mundo aprendia normalmente e os alunos chegavam a ficar com saudades da escola.







Era uma época mágica...

As festividades de encerramento do ano letivo, eram muito caprichadas.Haviam alunos que declamavam poesias, outras turmas que apresentavam cantigas natalinas e entre tantas, dois hinos escolares que marcaram a vida de todos os alunos: “Adeus escola querida” e “Adeus escola mui breve”.Nos finais de semana, os alunos e seus professores costumavam se encontrar nas matinês de domingo, no cinema do CIMH.Também em todo dia 12 de outubro, a escola brindava seus alunos com uma sessão de cinema, em homenagem ao dia da criança.


José (autor deste Blog) em 1970.






Ainda não era da minha época, mas pessoas que estudaram antes, me contaram que nas festinhas realizadas aos sábados, durante vários anos eram sorteados ingressos para a matinê de domingo.Do pessoal que trabalhava na escola naquela época, ainda posso lembrar:



Nelide Figueiredo (Diretora) e as Professoras: Abigail Bishop, Jamili Uba,Eugênia de Souza, Victória Ossaif, Francisca Drachinski, Lídia Sava, Aubiramar Gomes de Souza, Terezinha Polanski, Tânia Chaikoski, Nadir Braz, Isabela Bueno, e Édina Dalmédico.


Seu Ormindo de Lima era o zelador.Na cozinha trabalhavam dona Maria Olcha, Maria Rosa Pacheco e dona Cassemira Pathuck.Seu Ormindo era um zelador exemplar, que mantinha o pátio e os jardins sempre limpos e bem cuidados.




Houve uma época, que para passar do curso primário ao ginásio, precisava prestar o exame de admissão.



Minha segunda série, em 1969 foi com dona Tânia Chaikoski, uma moça muito bonita, que namorava com um oficial do Exército.Aulas exemplares, onde os alunos que conseguiam nota dez no tema de casa, ganhavam figurinhas para colar no caderno.Nesse ano, o homem chegou à lua.E dona Tânia nos contou maravilhada, muitas histórias sobre a chegada do homem na lua.Foi em novembro desse ano, que aconteceu a inauguração da ponte ligando Três Barras ao Paraná.A escola realizou um desfile cívico até o local.


Em 1970, minha terceira série foi com minha tia Victória.Tão exemplar quanto suas colegas, era excelente em trabalhos artesanais.Era tudo feito nos mínimos detalhes, sem qualquer sobra ou erro de medidas.Por ocasião do dia da criança, fomos com a outra 3ª série da dona Francisca, fazer um piquenique em São João dos Cavalheiros.Quem levou a criançada, foi o seu Artibano Packer, pai do Zair, com um antigo caminhão Ford.Também nesse ano, o Brasil ganhou a Copa no México.Quanta alegria!Todos cantavam em todos os corredores e em todas as salas: “Noventa milhões em ação, pra frente Brasil, do meu coração...”


Em 1971 completei a 4ª série com outra tia: Eugênia, que era esposa do meu tio Juca.Era a segunda mãe, sem dúvida.Nos tratava como filhos e sempre tirava um tempinho para fazer dinâmicas e contar histórias da Bíblia.Excelente!

 


 

 A partir de 1972 ingressei no ginásio que funcionava somente à tarde.Vale lembrar que pela manhã eram somente turmas de primário.Durante a tarde predominava o ginásio, mas tinha também algumas turmas de primário.Passar para o ginásio, era sem dúvida uma nova fase na vida de todos nós.Agora não era apenas uma professora.Eram várias.Umas cinco ou seis.Vou puxar pela memória: Abigail Bishop (Ciências), Jamili Uba (História), Elvira Fiolek (Geografia), Educação Artística (Francisca Drachinski), Cléa Casa (Português), Eugênia de Souza (Matemática), Aubiramar Gomes de Souza (Educação Física) e Édina Dalmédico (Educação para o trabalho).Nos anos seguintes mudaram alguns professores.Como por exemplo: o de Português (Tadeu Kurpiel) e o de Matemática (Paulo Telli).Lembranças são muitas.
Patriotismo e respeito, eram valores sempre presentes na escola.

Sonhava nas aulas de história.Enquanto a professora ia contando sobre D. Pedro Iº, princesa Isabel, família real, eu ia imaginando, deixando meu pensamento voar além das nossas fronteiras.Mas, ficava fascinado com as experiências das aulas de ciências.Como era possível colocar um espelho numa bacia com água e fazer aparecer o arco-íris?Em 1975, meu último ano na escola, dona Abigail promoveu um Teatro Escolar, que aconteceu no antigo Operário, em 24 de junho.Houve apresentações de peças, bailados, cantigas, dublagens, etc.Uma tarde de sonhos para todos os alunos.Durante todo esse tempo, tive como diretora, dona Nelide Figueiredo.Nesse período todo de escola, tanto eu, quanto meus colegas, éramos assíduos leitores das revistas em quadrinhos, popularmente chamadas de gibi.


O garoto aí da foto, representa o perfil dos alunos daquela época.

Anos mais tarde, em 1981 retornei à escola, na condição de professor substituto.Ainda encontrei alguns professores antigos trabalhando e pude sentir o mesmo clima dos tempos de criança.Na direção estava minha tia Eugênia, que conseguia fazer da escola, uma grande família.As férias de julho e de final de ano ainda eram agradáveis.Foi uma experiência muito boa.Voltei em 1987 e fiquei até fins de 1992.Saí e retornei dez anos mais tarde.Em 2005 fui aprovado num concurso estadual e voltei a trabalhar como efetivo.Fazendo um paralelo entre o ontem e o hoje, posso dizer que ontem vivia-se intensamente os momentos, tudo era alegria e muito gratificante.Hoje, o consumismo e as mudanças que vivem acontecendo, a desvalorização dos profissionais da educação, fizeram desaparecer o respeito, os valores e o civismo.Ontem o professor era o Professor.Hoje, já não é mais a mesma consideração.



Um livro criticado por alguns e adorado por muitos.

Veio o progresso, a tecnologia de primeira, os recursos audiovisuais...


Mas, desapareceu o encanto.Deixo claro, que é a minha opinião pessoal, o meu ponto de vista entre duas épocas distintas vividas na Escola “General Osório”.(José Fco. Souza)

Meninas exemplares: desenhavam, pintavam e declamavam, deixando os meninos para trás.



"Canções sempre lembradas":



Naquela época, as professoras dedicavam muito tempo das aulas para cantarem com seus alunos.Eram canções com motivos patrióticos, ecológicos e educativos.Muitas dessas canções ficaram na nossa memória e até hoje lembramos com saudades.





“BRASIL, TERRA DE GRAÇA E SINGELEZA”

Quisera eu ser um grande poeta,
Pra descrever num poema bonito,
Toda beleza deste meu Brasil,
Deste país que parece infinito.

E conhecer os seus lindos recantos,
Cheios de encantos
E graça vaidosa.
Então dirá com toda certeza,
Que a natureza foi bem caprichosa.

REFRÃO: Brasil, Brasil,terra de graça
E singeleza.
Brasil, Brasil, és o jardim da natureza.

Uma casinha na beira da praia
Sob o luar de uma noite estrelada,
Sobre a areia prateada que brilha
Até parece que foi niquelada.

A singeleza de lindas palmeiras,
Tão altaneiras no céu
Cor de anil.
Este é um quadro, que é bem natural,
É bem nacional,
É o nosso Brasil.

REFRÃO:
Brasil, Brasil, terra de graça
E singeleza.
Brasil, Brasil, és o jardim da natureza.




Recordar é Viver:


Olha só essa turminha de alunas muito aplicadas, recebendo os seus diplomas: Marcela, Andréa, Maria José e Silvana (1979).

Deixaram saudades!


POEMA: "Meus 8 anos."

                                                               (Cassimiro de Abreu)




Oh ! que saudades que eu tenho
Da aurora da minha vida,
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais !

Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais !



Como são belos os dias
Do despontar da existência !
- Respira a alma inocência
Como perfumes a flor;
O mar é – lago sereno,
O céu – um manto azulado,
O mundo – um sonho dourado,
A vida – um hino d’amor !



Que auroras, que sol, que vida,
Que noites de melodia
Naquela doce alegria,
Naquele ingênuo folgar !


O céu bordado d’estrelas,
A terra de aromas cheia,
As ondas beijando a areia
E a lua beijando o mar !



Oh ! dias de minha infância !
Oh ! meu céu de primavera !
Que doce a vida não era
Nessa risonha manhã !


Em vez de mágoas de agora,
Eu tinha nessas delícias
De minha mãe as carícias
E beijos de minha irmã !



Livre filho das montanhas,
Eu ia bem satisfeito,
De camisa aberta ao peito,
- Pés descalços, braços nus -


Correndo pelas campinas
À roda das cachoeiras,
Atrás das asas ligeiras
Das borboletas azuis !

Naqueles tempos ditosos
Ia colher as pitangas,
Trepava a tirar as mangas,
Brincava à beira do mar;
Rezava às Ave-Marias,
Achava o céu sempre lindo,
Adormecia sorrindo,



E despertava a cantar !

Oh ! que saudades que eu tenho
Da aurora da minha vida
Da minha infância querida
Que os anos não trazem mais !

- Que amor, que sonhos, que flores,
Naquelas tardes fagueiras
À sombra das bananeiras,
Debaixo dos laranjais !




Em muitas horas cívicas e momentos de homenagens da escola, foi apresentado o poema "Meus oito anos".É sem dúvida, um poema que deixou saudades.



Canto: "Adeus escola querida".








Adeus escola querida,

Adeus, adeus, adeus...

De ti levamos saudades,

saudades tantas de ti.

Carteiras, penas e livros...
criança rindo e cantando.
E tudo a rir
Sem cessar,
Num riso perene
E brando.

Adeus escola querida,
Adeus, adeus, adeus...
De ti levamos saudades,
Saudades
Tantas de ti.

De ti levamos saudades,
Saudades 
Tantas de ti.
Oh escola
Escola querida,Saudades
Temos de ti. 



Canto: "Adeus escola mui breve".




Adeus escola mui breve,

Vais ficar na solidão
E que a saudade
Te leve,
Bem dentro
Do coração.

Sozinha, que desconforto

Escola vai se encontrar.
Neste silêncio
Tão morto,
Que a nossa
Ausência deixar.

Durante dias e dias

Sem ouvir
Nosso cantar,
Também terás 
Nostalgia,
Dessas que
fazem chorar.

Chegam as férias

Consola,
Um pouco
Este descansar...
Adeus bem
Amada escola,
Adeus meu
Grupo escolar.


Canto: "Adeus escola já vou partir".
(Melodia: Valsa da Despedida)



Adeus escola, já vou partir
E jamais esquecerei
Os áureos tempos que passei
Que saudades sentirei.

Estando ao longe
Estando a só, 
Ouvirei a sua voz,
Com gratidão vou recordar,
Os bons mestres que me deu.

Vou com tristeza separar

O meu coração do teu,
Adeus escola, nosso lar
Meu adeus, adeus, adeus.

Adeus escola, já vou partir

Para longe seguirei...
Talvez um dia ao voltar,
Bem feliz te encontrarei (2 vezes)

Canto: “Setembro, quanta harmonia”.


Oh Pátria, quando me lembro
Da minha terra em setembro,
Da minha escola infantil.

Setembro quanta harmonia,
Nos prados, nas serranias
Douradas pelo arrebol.

Ai como minha suspira
Ouvindo na agreste lira,
Festivos hinos ao sol.
(2 vezes)

Nas torres esbranquiçadas,
Festejam as alvoradas,
Numa abundância  de luz.
Pombinhas voam aos pares,
Fulmejam em todos os lares,
A vida, em ondas a
Fluir.
(2 vezes)



Canto: “Pingo de Gente”
Pingo de gente
Quem é você?

Tanta tristeza
Seus olhos guardam
Diga por quê?

Pingo de gente,
Pobre criança
Que quer calor.
Sempre a procura,
De algum carinho,
De algum amor.

Refrão: Pingo de gente
Eu quero você.
Pingo de gente,
Eu amo você.
(Tema da novela da TV Record em 1972)


"Despedida"

                               (Roberto Carlos)




Já está chegando 
a hora de ir,
Venho aqui
Me despedir
E dizer:

Que em qualquer

Lugar
Por onde eu andar,
Vou lembrar
De você.

Só me resta agora

Dizer adeus
E depois
O meu caminho
Seguir...

O meu coração aqui

Vou deixar,
Não ligue se acaso
Eu chorar
Mas agora,
Adeus.
(Música muito cantada pelos alunos durante as homenagens de encerramento do ano letivo).


"Sou Brasileiro"



Sou brasileiro,

Com orgulho digo.

Na paz, na guerra,

Contra o inimigo.

Ao mundo inteiro

Cantarei o hino:

- sou brasileiro, sou brasileiro.



Sou brasileiro,

Desta terra, o brilho

Há de ser grande

Esse grande filho.

Sempre altaneiro,

Na virtude trilho:

- sou brasileiro, sou brasileiro.



Sou brasileiro,

Mesmo pequenino,

Ponho na Pátria,

Todo meu destino.

Além fagueiro,

Cantarei o hino:

- sou brasileiro, sou brasileiro.





"Estudante do Brasil"




“Hino do Estudante do Brasil”



 Letra: P. Barbosa e A. Taranto Música: Raul Roulien

Estudante do Brasil!
Tua missão é a maior missão:
Batalhar pela verdade,
Impor a tua geração!

Refrão:
Marchar, marchar para a frente!
Lutar incessantemente!
A vida iluminar, Idéias avançar!

E, assim, tornar bem maior,
Com todo ardor juvenil:
A Raça, o Ouro, o esplendor
Do nosso imenso Brasil!

Estudante do Brasil,
Orgulho da Nação, tu hás de ser!
O Brasil almeja, ansioso,
Que cumpras sempre o teu dever.

Refrão:










"Poemas sempre lembrados"




POR ONDE ANDAM NOSSOS PROFESSORES?
Para você que foi aluno da EEB "General Osório", vamos informar por onde andam nossos ex-professores, os quais até hoje são muito lembrados.
Isabel Motta: professora desde os anos 50, vive em Canoinhas, residindo próximo da EEB "Sagrado Coração de Jesus".É mãe do conhecidíssimo professor Ederson Motta.
Lídia Sava: vive em Três Barras, é mãe da professora Irina.
Abigail Pacheco Bishop: vive em Três Barras e tem aproveitado sua aposentadoria, viajando pelo mundo afora.
Jamili Uba: vive em Três Barras.É tia de outras professoras: Fátima, Míriam e Mona.
Francisca Drachinski: sempre lembrada pelas aulas de artes.Reside no quilômetro 2 em 
Três Barras.É irmã da professora Estacha.
Fátima e Míriam Uba: residem ambas uma vizinha da outra, em Três Barras.
Aubiramar (Bira): na década de 2000 passou a residir em Joinville.
Anita Ribeiro: é irmã da professora Nadir Pacheco.Reside em Três Barras.

E alguém saberia nos informar por onde anda dona Édina Dalmédico?Seus ex-alunos sempre lembram dela com muito carinho.A última informação era de que morava em Curitiba e que trabalhava numa escola do Bacacheri.

Nadir Braz: reside em Curitiba.Trabalhava numa escola do Bacacheri.
Terezinha Uba: é mãe da professora Mona.Reside em Três Barras e é vista com frequência nas atividades da Igreja Matriz.
Eugênia de Souza: ex-professora e também diretora, divide seu tempo entre Ribeirão Preto (SP) e Três Barras.Tem se dedicado às atividades religiosas.
Bern Walter Graf: dedicou longos anos da sua carreira à escola "General Osório".Foi agraciado com o título de Cidadão Honorário Tresbarrense.Reside em Florianópolis.
Paulo Telli: professor de matemática, dedicou seus últimos anos de trabalho na escola "Colombo Machado Salles".Hoje se dedica à fotografia e vive em Três Barras.
Vera Jenzura Moskwyn: reside em Três Barras, onde ela juntamente com seu marido Márcio, são grandes colaboradores das atividades da igreja.
Alice Zimermann: foi outra professora que deixou saudades para muitos alunos.Residiu algum tempo em Videira.Voltou e reside em Três Barras.
Tânia Chaikoski:foi professora nos anos 60 e início de 70.Mudou para Curitiba.Atualmente vive em Barra Velha.
Alda Olsen:trabalhou até 2008 na EEB "General Osório", quando se aposentou.Considero a saída da Alda, como o fim de uma "era dourada".Foi a última professora que ainda pertencia ao grupo dos anos 60, 70 e 80.Com a saída da professora Alda, muitas coisas simplesmente deixaram de existir.Pois, o pessoal mais novo, já faz parte de uma nova geração embalada mais pelo modernismo, pela tecnologia e pela mídia.Digamos que os valores sejam outros.

Nota: se você gostou deste Blog, escreva para mim.É sempre gratificante ouvir a opinião dos visitantes. tioze.artes@bol.com.br



GENTE QUE POR AQUI PASSOU...

"ISABEL  MOTTA"


Na Biblioteca da EBM "General Osório", é possível encontrar registros em quadros e álbuns, sobre a passagem de uma professora, que muito se dedicou em prol desse Estabelecimento de Ensino.É a senhora Isabel Mattos Mota, que há pouco completou 90 anos de idade.Dona Isabel residiu com sua família durante muitos anos em Três Barras: no centro e mais tarde na área denominada Quadro (CIMH).É mãe do conhecidíssimo professor Ederson Motta.

Dona Isabel:uma vida dedicada à educação.

Em Três Barras, muitos ainda lembram dela, das suas participações no grupo das senhoras do "Trabalho", das tardes de trabalho voluntário na casa da dona Líliam, onde confeccionavam roupas e acolchoados para famílias carentes.Em entrevista concedida à imprensa local,
ela lembra de sua trajetória ao longo dos 23 anos em que foi professora em Três Barras  com uma facilidade incrível. A Escola General Osório era sua segunda casa até ela se aposentar.
 Depois de aposentada, Izabel voltou para Canoinhas lamentando os muitos  amigos que deixou em Três Barras. “Mas eles ainda vem me visitar, são ex-alunos com quem tenho uma amizade muito linda”, fala com lágrimas nos olhos.  A gratidão aos amigos que lhe ajudaram em diversos momentos da vida é visível. Ela conta que até hoje muitos batem em sua a sua procura.
Além das aulas de Educação Física, Izabel trabalhou como professora de Ioga. Segundo ela o grupo de alunas era pequeno formado apenas por mulheres dos militares do Campo de Instruções Marechal Hermes (Rute, Noêmia, Rozema, Vilma) de Três Barras. “Elas me levavam a Curitiba-PR fazer o curso de Ioga”, lembra saudosa.

Grupo Escolar "General Osório" - Na época em que dona Isabel foi professora.


Professora Isabel Mattos Mota.(1952).


Foto: Professor José Francisco, autor do Blog.Se você gostou das postagens, escreva-me no e-mail:tioze.artes@bol.com.br
















































































4 comentários:

CRAVO disse...

No meu tempo de criança/jovem, não perdia um filme do Winnetou.
Hoje gostaria de adquirir todos ou pelo menos alguns dos 11 filmes da série.
Tem informação de onde posso encontrar?
Grato.
ODENIR - Criciuma SC.

Sergio Luiz Bohnenberger disse...

Olá tudo bem? Eu aprendi está canção ( BRASIL, TERRA DE GRAÇA E SINGELEZA ) aqui na minha cidade no meu tempo de criança. Queria saber se vocês tem um arquivo de áudio desta canção, ela é muito linda. Por favor, me respondam se tem, gostaria muito de tê-la no meu pc. Meu email é: sergiobohnenberger@gmail.com

Cristian Santarosa disse...

Olá Zé. Também cheguei aqui como o Sérgio, através da letra da música "Brasil, Brasil,terra de graça
E singeleza.
Brasil, Brasil, és o jardim da natureza." Aprendi ela também quando criança, no interior do RS. Saberias dizer qual é o título da música? Se tiveres o arquivo então, melhor ainda. Grato, abraço. Cristian (cristiangaribaldi@gmail.com)

Unknown disse...

Espetacular homenagem aos que passaram por essa Escola. Parabéns!
Esta imagem que postei no face traz muitos professores reunidos
e faz também menção a sua belíssima postagem:
https://www.facebook.com/photo.php?fbid=806189286171250&set=a.559279854195529&type=3&theater

Everaldo E. Barcelos